Faça as pazes com sua história

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já se perguntou por que algumas pessoas, com tanto talento, simplesmente não consegue “ir pra frente”?

Na maioria dos casos, se você tiver acesso a um pouquinho de sua história, perceberá que existem algumas “janelas abertas”, ou seja, situações mal resolvidas, magoas, traumas, medos…

Grande maioria das pessoas teve ou tem algum tipo de problema com seu passado, seja criação dada pelos pais ou parentes mais próximos, ou mesmo a sociedade.

Outras pessoas passaram por algum tipo de trauma que marcou toda sua vida, como por exemplo um assalto, um acidente, traição ou mesmo uma situação de concorrência no trabalho em que você foi o maior prejudicado.

O fato é que quando nos prendemos a estes fatos, dificilmente conseguimos avançar na maioria dos nossos projetos, pois de alguma forma eles tem alguma relação com a nossa história.

Certo dia eu estava em uma reunião em que apresentei um novo projeto para um ministério de música. Umas pessoas gostaram das ideias, mas outra parte se colocou contra alegando que anos atras teriam tentado, e não tinha sido bom.

Realmente não foi na época, mas se pensarmos que o mundo e as pessoas amadurecem e evoluem, talvez perceberemos que já passou da hora de tentar novamente, dar mais uma chance. Dez anos tinham se passado desde a primeira tentativa e aquelas pessoas se apegavam à crença de que daquela forma as coisas jamais dariam certo.

Naquele caso, a experiência ruim criou uma “Crença Limitante”, projeto “X” não funciona com equipes de música de Igreja.

Eu mesmo, apesar de meus trinta anos de música, não me imaginava sustentando minha casa através dela, e durante muitos anos tentei estudar e desenvolver projetos que me permitissem mudar de rumo.

Isso aconteceu pois em minha adolescência ouvi alguém dizer que “música não enche barriga”. Naquele momento criei a crença de que nunca conseguiria viver de música.

Mesmo depois de minha primeira formação como Coach queria trabalhar em algum ramo que não fosse a música, pois imaginava que nenhum músico teria recursos para me pagar pelo processo, e durante um ano não ganhei um centavo com isso, pois tentei bater em portas que não condiziam com minha história.

Quando fiz um de meus cursos de formação, aprendi que “nossa história é nosso produto”, ou seja, a nossa real autoridade sempre estará naquilo que a gente faz de melhor e é conhecido por isso. Geralmente  gente é bom naquilo que faz a maior parte da vira.

Como resolver esta questão?

Simples, faça as pazes com sua história.

Sofremos por que nos apegamos à parte ruim de nossa vida, nossa criação, educação, convívio social, colegas de trabalho, parentes e amigos, ministérios ao qual fizemos parte etc…

Mas se por um instante você parar pra pensar que grande parte do que você é hoje, com todas as suas virtudes, pontos fortes, seus talentos e habilidades, seu conhecimento e suas características de personalidade, são resultado de tudo o que viveu e com quem viveu, perceberá que terá mais motivos a agradecer do que a criticar.

E aqui fica um conselho, pegue um papel e escreva tudo o que tua história lhe proporcionou de bom, esqueça as coisas ruins e situações difíceis, concentre-se nas coisas boas.

Em seguida relacione todos os fatos bons com alguma característica ou talento atual.

Depois de tudo isso, desenvolva em você um sentimento de gratidão pela vida, pela sua história, pelos seus pais, pela educação, amigos etc…

Se você gostou deste texto e gostaria de conhecer mais sobre meu trabalho, eu gostaria de te oferecer uma sessão de Coaching totalmente grátis. Basta entrar em contato para agenciarmos o horário vago mais próximo.

Deus te abençoe.

Déio Tambasco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *