Criatividade. Caminhos para o desenvolvimento da criatividade.

Criatividade. Caminhos para o desenvolvimento da criatividade.

desenvolvendo a criatividade
criatividade

Sabemos que um dos principais fatores que podem nos destacar neste imenso “campo artístico”  é a Criatividade. Sem ela nos tornamos meros imitadores, pessoas que reagem a uma tendência de mercado.

Particularmente não vejo problema nisso, uma vez que muitos artistas de diferentes segmentos têm se destacado num ” mar de igualdade ” sem fim. Mas o diferencial que quero te apresentar, é a possibilidade de não desaparecermos juntamente com as mesmas tendências das quais nos tornamos reféns.

Quando nos portamos desta maneira, nos vemos na obrigação de mudar juntamente com a tendência do mercado, e isso vai ficando mais notório para o público a cada mudança. Pra resumir, toda vez que seguimos a  moda, dizemos que não temos personalidade, afinal tudo que fazemos ou dizemos manda uma mensagem.

Não quero colocar meu pensamento como a verdade absoluta, mas sim como a minha verdade, a maneira como acredito. É importante que eu diga isso para não cairmos em um clima de assuntos como “tocar de ouvidos ou por partitura”, e outras conversas sem fim, e isso é realmente chato.

Quero apresentar alguns caminhos para você desenvolver a criatividade tão sonhada por muitos, afinal Arte é criação.

1 – Desapegue das imitações

Você precisa entender que toda vez que imita alguém, não esta desenvolvendo o seu trabalho, mas o da pessoa a quem está imitando. Toda vez que se apresentar, as pessoas irão te comparar com o seu artista preferido, e você fará propaganda para ele. Nada de errado com isso, a não ser pelo fato de que você também gostaria de mostrar o seu trabalho.
Quanto mais nos acostumamos a imitar, menos desenvolvemos o lado criativo, pois todo trabalho de pesquisa e criação, toda energia e tempo investidos por outros apenas vai fazer com que eles cresçam e não você.

2 – Faça apenas por fazer.

Experimente pegar seu instrumento e tocar por um longo período de tempo, sem o compromisso de ter que tirar um repertório, treinar ou ensaiar. Apenas tocar pelo prazer de tocar, extraindo notas e melodias da sua mente, e não de algo que já foi criado. Isso vale pra todo tipo de arte como canto, pintura, dança etc…
Desta prática sem compromissos podem surgir muitos insights que vão aos poucos se incorporando à sua musicalidade. Você passa a desenvolver um vocabulário de frases próprio, bem como o timbre, pegada etc…
O resultado disso é que, toda vez que alguém ouvir um determinado som, timbre de voz ou mesmo imagem ( como uma pintura por exemplo ), saberá que é você.
Ainda que você se pinte de azul como o famoso “Blue man group” todos saberão que aquela pessoa com seu jeito único de se apresentar, é você.

3 – Ouça apenas por ouvir.

Nosso grande problema é que nos limitamos a absorver apenas as músicas dos artistas que queremos nos parecer. Mas como já disse o grande guitarrista Scott Henderson, “você é o que ouve”, você se transforma naquilo que consome.
Eu mesmo fui refém disso por muitos anos, vivia consumindo o material do Steve Vai e sem perceber acabei me identificando muito com seu som, minha referência de timbre passou a ser o seu, minha guitarra era uma Jem, e até usava roupas brilhantes.  Quando as pessoas diziam que eu me parecia com ele isso me orgulhava. O mesmo aconteceu anos depois com Scott Henderson.
Anos depois precisei fazer meu nome na música e percebi que me faltava algo além de um nome artístico. Faltava o principal, identidade.
Me desvinculei de tudo e passei a ouvir música simplesmente por ouvir, e não mais pra tirar solos, copiar timbres etc… Ouvia todo tipo de som, e o resultado foi que pude ingressar no Renascer Praise, um grupo de louvor muito diversificado, sem ter problemas com estilo musical.
Aos poucos fui resgatando algo já Deus já havia me dado, um som meu, e isso me ajudou a construir o meu caminho na música.

4 – procure um ambiente propício.

Pode não parecer, mas cenário é tudo, no que diz respeito a criação. Se você sentar à beira de uma linda praia com um violão nas mãos, saberá o que estou dizendo.
Nossa vida é muito corriqueira e simples, cheia de rotinas de trabalho, estudo, e o cenário de nossas vidas acaba sendo monótono. Então quando paramos pra compor uma canção ou um som instrumental, estamos no mesmo ambiente de sempre, e isso com certeza limita as nossas possibilidades.
Faça a experiência, procure um ambiente agradável como um campo florido, uma praia, um bosque ou mesmo um trem abandonado.
Durante a vida nossa mente associa ambientes com estilos musicais, isso devido ao grande número de vídeos que assistimos. perceba que toda vez que estiver numa praia, em sua mente passarão sons como o de um “ukulele” havaiano, um reggae ou outro tipo de som praiano. Se você estiver num campo lembrará de um som country ou um blues, e assim por diante.
Se você for da minha época, provavelmente ao entrar em um prédio abandonado se lembrará de música punk.

5 – Viva o que quer criar.

Finalmente não há como ser criativo em algo que não é a sua verdade. Se você quer compor adoração, seja um adorador, viva pra adorar a Deus. Se você quer ser um bom dançarino, frequente show de dança, compre revistas, dance o tempo todo, e  assim por diante. Não importa a sua arte, viva-a.
Se você quer ser ou fazer algo que não representa a sua verdade de vida, isso simplesmente não acontecerá.

espero que você tenha gostado desde texto.

Te convido a se inscrever em minha Lista Vip, desta forma ficará por dentro de tudo que acontece por aqui, eventos, postagens novas etc…

ENTRE EM MINHA LISTA VIP POR ESTE LINK

Também gostaria de te convidar a participar de meu Grupo de Discipulado no Facebook, chamado IMPULSO, onde postamos um conteúdo de crescimento espiritual , pessoal e profissional. Basta clicar no link abaixo e se inscrever.

ARTISTAS CRISTÃOS COM EXCELÊNCIA 

Deus abençoe
Déio

 

Sobre deiotambasco

Obrigado por ler este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *